A Universidade do Porto acolheu uma vez mais o concurso Business Ignition Programme (BIP) PROOF, iniciativa que premeia projetos de investigação inovadores. Este ano, o concurso contou com o apoio da Fundação Amadeu Dias e do Santander Universidades, tendo atribuído 10.000 euros a cada vencedor. A avaliação foi coordenada pela U.Porto Inovação, e foi levada a cabo  pela J. Pereira da Cruz, por membros da Portugal Ventures e por elementos de empresas Spin-off da Universidade do Porto.

A edição de 2021/2022 contou com 38 candidaturas, das quais o júri elegeu 5 projetos: PROAQUA, PerovSiPort, MyRNA, PRO-FUSE e NeuROP.

 

PROAQUA – Probióticos de nova geração para peixes

As rações para peixes carnívoros estão dependentes da farinha de peixe e das matérias-primas vegetais como principais fontes proteicas, o que acarreta elevados impactes ambientais e económicos. As farinhas de inseto, recentemente autorizadas na UE, são alternativas inovadoras e promissoras devido ao seu valor nutricional e produção sustentável. Porém, os insetos são ricos em quitina, que não é digerida e interfere negativamente no crescimento dos peixes. Bactérias intestinais probióticas capazes de superar os efeitos negativos da quitina são uma alternativa que beneficiará a saúde e o bem-estar do peixe. Adicionalmente, estas bactérias cumprem os requisitos mínimos de segurança para serem elegíveis como probióticos pela Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar.

Para serem usados na indústria da aquacultura e patenteados, estes probióticos carecem de ser validados. O BIP PROOF permitirá a realização de ensaios in vivo com o robalo europeu, a fim de comprovar a eficácia dos probióticos na melhoria da utilização das farinhas de inseto pelos peixes e na resistência a doenças, dois obstáculos ao desenvolvimento sustentável da indústria da aquacultura. O Projeto PROAQUA é liderado por Paula Enes (na foto), Professora Auxiliar na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto e Investigadora Auxiliar no CIIMAR. É expectável que este projeto, de futuro, possa fornecer à indústria da aquacultura um probiótico multifuncional, respondendo assim à crescente necessidade do mercado europeu por novos e melhores probióticos.

 

PerovSiPort

As células solares fotovoltaicas de perovskita são consideradas uma das mais prometedoras tecnologias emergentes da energia solar fotovoltaica, podendo revelar-se cruciais no desenvolvimento de soluções de produção de energias renováveis altamente eficientes, alcançando os objetivos de desenvolvimento sustentável da Organização das Nações Unidas. O projeto PerovSiPort propõe a produção de células solares de perovskita sustentáveis a longo prazo, aliando os métodos de produção e design mais avançados ao uso de materiais inovadores. O projeto pretende desenvolver um mecanismo inovador capaz de simplificar a montagem e aumentar a eficiência de conversão de energia, integrando as células solares fotovoltaicas de perovskita nos painéis de células solares de silício comuns no mercado.

A equipa reúne experiência e conhecimento técnico em diversas áreas, sendo composta pelo investigador Seyedali Emami e por estudantes de doutoramento na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto: Jorge Martins, Marta Pereira, Eliana Loureiro e Rúben Madureira.  Com o apoio do BIP PROOF, poderão desenvolver um protótipo, submeter a patente que protegerá o design e atrair o interesse de outras instituições de I&D e indústrias de energia fotovoltaica.

 

 

 

MyRNA – Teste complementar de diagnóstico para depressão 

A depressão constitui um dos principais problemas de saúde pública e causas de incapacidade a nível mundial. Estima-se que a depressão afete cerca de 280 milhões de pessoas em todo o mundo. O MyRNA Diagnostics tem por objetivo desenvolver um kit de biomarcadores moleculares para diagnóstico e monitorização da doença.

O projeto está a ser desenvolvido por Maria Inês Almeida (ICBAS/i3S), Susana Santos (i3S), João Brás (i3S), e o Prof. Doutor Mário Barbosa (ICBAS/i3S), líder do grupo Microenvironments for New Therapies do i3S, onde o projeto está a ser implementado. Este estudo envolveu médicos psiquiatras, liderados pelo Prof. Rui Coelho, e vários hospitais da região Norte, incluindo o Centro Hospitalar Universitário São João, o Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa e o Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia /Espinho. Esta tecnologia foi desenvolvida no âmbito dos programas de empreendedorismo CoHiTEC e BfK Ideas.

Com o apoio do BIP PROOF, a equipa pretende avançar com uma validação clínica mais alargada dos biomarcadores para depressão, tornando os testes mais específicos e sensíveis. Isto permitirá a otimização e demonstração da atividade e eficácia da tecnologia. Este financiamento é fundamental para colmatar a transição entre a investigação e o desenvolvimento de um produto para o mercado.

 

PRO-FUSE  – Fusível prostético para aplicações odontológicas

O projeto PRO-FUSE visa responder às dificuldades na reabilitação oral com implantes dentários de pacientes com perda óssea vertical acentuada. A tecnologia desenvolvida, que foi patenteada, permitirá colmatar o risco de insucesso na reabilitação oral através da inclusão de um fusível mecânico nas próteses dentárias aparafusadas a implantes curtos.

O trabalho foi desenvolvido no âmbito do Programa Doutoral em Engenharia Biomédica da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, pela Professora Ana Reis (gestora do projeto) e pelo médico dentista José Ferreira (inventor). Os estudos numéricos que levaram à sua conclusão foram realizados em parceria com o INEGI - Instituto de Ciência e Inovação em Engenharia Mecânica e Engenharia Industrial.

O apoio concedido pelo BIP PROOF facilitará a criação de um modelo aperfeiçoado com base nos modelos já testados, com características anatómicas. Este modelo será fabricado e alvo de ensaios mecânicos, que levarão à avaliação da necessidade de ensaios clínicos com o INFARMED. Atualmente, a equipa prepara-se para desenvolver protótipos anatómicos que permitirão a realização de testes em ambiente clínico. A validação experimental facilitará a entrada de potenciais investidores que poderão colocar o produto no mercado. 

 

NeuROP – Neuromodulação para Restaurar a Propriocepção Oral

Também no âmbito da saúde oral, o projeto NeuROP pretende validar o protótipo de uma prótese inteligente criada para devolver a função sensorial oral a pessoas que perderam os seus dentes. A sua eficácia assenta num sistema neuroestimulador que transforma forças de oclusão mecânicas em estímulos elétricos que serão aplicados a terminações nervosas. Havendo mastigação, a força detetada pelos sensores colocados entre a prótese e a mandíbula é convertida em estímulos elétricos de frequência crescente, imitando os recetores periodontais. As pessoas que perdem os seus dentes também perdem a informação sensorial que seria enviada ao sistema nervoso central para que haja o feedback somatossensorial adequado. Ao faltar este feedback, várias patologias podem desenvolver-se, como a falta de controlo da função mastigatória, levando a danos e fraturas em implantes ou dores de cabeça, entre outros problemas.

O projeto conta com membros da Faculdade de Engenharia (Professores José Machado da Silva, Carlos Fonseca, Joaquim Gabriel Mendes e Me João Aguiar) e da Faculdade de Desporto (Médico Dentista Pedro Santos) da Universidade do Porto, assim como do Instituto Português de Oncologia do Porto Francisco Gentil (Doutor Jorge Marinho). O objetivo do consórcio é implementar a prótese inteligente e realizar testes com voluntários para avaliar as melhorias que podem ser alcançadas na postura e controlo da mastigação. O objetivo do consórcio é implementar a prótese inteligente e realizar testes com voluntários para avaliar as melhorias que podem ser alcançadas na postura e controlo da mastigação.

 

Sobre o BIP PROOF

O BIP PROOF foi criado pela U. Porto Inovação para apoiar e dinamizar a investigação aplicada com potencial comercial que é realizada na Universidade do Porto. O objetivo é criar um fundo de apoio a provas de conceito, sejam protótipos de viabilidade técnica, estudos de mercado ou de viabilidade, ensaios in vitro/in vivo ou outras iniciativas que possam contribuir para a maturação da tecnologia e aproximação ao mercado, permitindo que sejam transferidos para empresas ou deem origem a empresas Spin-off da Universidade.

Lançado em 2018, o BIP PROOF premiou nas edições anteriores um total de 22 ideias inovadoras com 260.000 euros. A primeira edição, em 2018, no âmbito do projeto U. Norte Inova, financiou seis projetos com 20.000 euros cada, tendo recebido um apoio da Fundação Amadeu Dias (FAD) que permitiu financiar mais quatro projetos com 10.000 euros para cada. Em 2019, mantendo o apoio da FAD, foi possível financiar quatro ideias inovadoras, com o total de 40.000 euros. Em 2020, o Santander Universidades juntou-se à FAD como patrocinador e foram eleitos seis vencedores, atribuindo 10.000 euros a cada um.

Para além de manter os patrocinadores, a edição atual do BIP PROOF é também apoiada pela J. Pereira da Cruz, empresa especializada em Propriedade Intelectual, e pelo Spin UP, projeto orientado para o aumento da transferência de tecnologia para o mercado no Norte de Portugal e Espanha, cofinanciado pelo FEDER - Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, através do Programa de Cooperação Transfronteiriça INTERREG V A Espanha-Portugal 2014-2020 (POCTEP).