Foram três dias ricos na troca de boas práticas, experiências e perspetivas de futuro em inovação em saúde na Europa. O grupo de parceiros europeus do projeto Helium encontrou-se no Porto para uma jornada de trabalho onde foram nomeadas as primeiras boas práticas na área, identificadas por cada um dos membros da parceria. A U.Porto Inovação, enquanto anfitriã do evento, convidou a IS4Health e a Virtual Care, duas empresas spin-off da Universidade do Porto ligadas às tecnologias da saúde, a apresentar os seus projetos mais promissores para melhorar os cuidados de saúde atuais. Foi dado palco também ao programa Patient Innovation, da Universidade Católica de Lisboa.

Relativamente a Portugal, os dois parceiros nacionais (a U.Porto, através da U.Porto Inovação, e a Agência Nacional de Inovação (ANI)), identificaram três boas práticas, de entre as apresentadas, que poderão vir a ser implementadas em Portugal. São elas: Brainport Healthy Living Lab, da Holanda, que consiste num sistema de validação de tecnologias em contexto de vivência real; a EcoQuip, da Hungria, que é uma política de inclusão de gestores de inovação nas unidades de saúde; e o Telemedicine Development Center, também da Hungria, que, tal como o nome indica, consiste num centro de desenvolvimento de competências em telemedicina.

Além das reuniões de trabalho, os parceiros também ficaram a conhecer, no segundo dia, dois exemplos de boas práticas ligadas à saúde, a funcionar na zona do Porto. A primeira foi o projeto da Associação Ânimas, de treino de cães para fins terapêuticos, e o segundo foi o Programa Aconchego. Fizeram também visitas ao Fall Competence Center e ao Laboratório de Biomecânica da U.Porto (LABIOMEP). O grupo teve ainda oportunidade de estar presente no evento “Encontro com a Inovação em Saúde” do Health Cluster Portugal, nomeadamente na mesa redonda organizada pela U.Porto Inovação, centrada na aproximação das universidades às empresas na temática da inovação em saúde. Marton Kis, membro da parceria projeto Helium, foi um dos oradores convidados para o debate, do qual os restantes parceiros, enquanto membros do público, participaram ativamente com as suas questões e experiências profissionais.

O projeto Helium começou em 2016 e tem como principal objetivo aumentar a eficiência do financiamento público dedicado à inovação na saúde. Para tal ser possível, os parceiros têm tentado conhecer as maiores forças e fraquezas nos seus sistemas de inovação, bem como as melhores maneiras de os fortalecer. Os resultados do projeto deverão beneficiar todos os atores da hélice quadrupla, nomeadamente: autoridades públicas, centros de investigação e negócios, prestadores de cuidados e também indivíduos. O projeto europeu é composto por 9 parceiros de cinco países europeus (Bélgica, Holanda, Hungria, Reino Unido e Portugal).

O próximo encontro será em junho. Liverpool, onde se irá dar continuação ao processo de transferência de boas práticas, analisando as particularidades de cada ecossistema regional e encontrando metodologias de implementação otimizadas.